Selecione a cidade:   Rondônia, 12 de dezembro de 2019   |  Vídeos   |  Notícias Fotos e eventos

Áudios que ligariam ação de delegados a suposto plano contra Alex Testoni repercutem em Ouro Preto

Os dois, que conduziram a operação e pediram a prisão de Testoni, foram afastados

Tamanho do texto:  A+     A-         Imprimir
tudorondônia, 23/11/2019 08h54

 (Foto: )
(Foto: )

Ouro Preto do Oeste, Rondônia - Áudios vazados recentemente causaram grande repercussão em Ouro Preto do Oeste, berço político do ex-deputado e ex-prefeito Alex Testoni, que despontava com chances de ser governador, mas teve a carreira abalada após investigações comandadas pelos delegados Julio Cesar e Roberto Santos. Os dois, que conduziram a operação e pediram a  prisão de Testoni,  foram afastado da Draco  (Delegacia de Combate ao Crime Organizado) após vazamento de conversas sobre um suposto plano para prender o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia. 

Nos áudios divulgados anteriormente  surgem conversas entre delegados de polícia  com ameaças ao  presidente da Assembleia Legislativa. Também veio à tona um suposto plano para incriminar o ex-governador Daniel Pereira.

Mas o que está causando mais impacto em Ouro Preto do Oeste é um áudio onde fala-se sobre um suposto plano para que pessoas da Polícia Civil “se infiltrem” na política. É citado que o Estado tem muito dinheiro, com um Orçamento de mais de R$ 7 bilhões, mas que pouco disso iria para a polícia.

Outro trecho destaca que políticos deveriam ser presos em Rondônia  a exemplo do que aconteceu em outros Estados. No município esses áudios levantaram a suspeita de que poderia haver um plano para desestabilizar a classe política, beneficiando o grupo de policiais.

O ex-prefeito Alex Testoni deixou a vida pública depois de prisões em operações comandada pelos delegados Julio Cesar e Roberto Santos. Agora começam a aparecer evidências de que ele foi injustiçado, transformado em bode expiatório.

A trajetória política de Alex Testoni pode explicar a razão de ter sido escolhido em uma investigação. Quando chegou à Assembleia Legislativa,  ele denunciou a existência de 600 funcionários fantasmas e  de um contrato fantasma para a compra e manutenção de computadores. Com isso, economizou R$ 9 milhões aos cofres públicos.

Quando foi candidato a prefeito de Ouro Preto do Oeste, venceu com 75% dos votos. Depois de reeleito, terminou o mandato com 92% de aprovação e todas as suas oito contas foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado.

Então, de repente,  os dois delegados denunciaram Alex Testoni, acusando-o de dar um prejuízo de R$ 6.500,00 à prefeitura ao contratar um show por R$ 65 mil. Também foi acusado de promoção pessoal, já que seria candidato ao governo. A acusação foi mantida mesmo após ser constatado que Testoni promoveu o show nos oito anos que atuou como prefeito, e que pagava metade do que o mesmo artista cobrou em um show idêntico em Goiânia.

Comentários
Comente direto do Facebook

Últimas notícias
Enquete
Qual das seguintes categorias melhor descreve seu status de emprego?

 

Escolha sua cidade:   Editoriais:  
Fotos e eventos
  |  Notícias
  |  Vídeos
Compartilhe você também:
  
  
  
© Copyright 2019 DiarioDaki - Todos os direitos estão reservados Anunicie conosco | Fale conosco | Política de privacidade | Área restrita